19 de set de 2011

GRAFFITI-ANO 30

NO DIA 5 DE JUNHO DE 1981, COM 15 ANOS, EU E MEU FINADO AMIGO WALLACE 'TED' LAPENNA (PUNKIDS), NOS JUNTAMOS PRA CORTAR UMAS MÁSCARAS EM PAPEL PARDO, UNS SPRAYS NAS MOCHILAS E SAIMOS NA MADRUGADA DE SAMPA DISPOSTOS A FAZER NOSSO PRIMEIRO E AUTÊNTICO GRAFFITI DE RUA.
CLARO QUE NÓS JÁ TINHAMOS PICHADO VÁRIOS MUROS ANTES, COM ANARQUIAS E DESENHOS DA CULTURA PUNK, MAS NESSE DIA FOI ESPECIAL: UM DESENHO GIGANTE, BEM FEITO E COM ALGO A DIZER.
O GRAFFITI FOI FEITO NA COLUNA DE UM VIADUTO PRÓXIMO AO MERCADO MUNICIPAL DE SÃO PAULO: FICOU LÁ MUITOS ANOS.
....................................................................................
DE LÁ PRA CÁ, MUITA COISA MUDOU: O GRAFFITI VIROU COMÉRCIO, MODA, MUITOS MANOS, INCLUSIVE O TED, MORRERAM.
EU INTRODUZI O GRAFFITI DE RUA E O GRAFFITI COMERCIAL NO MEU BAIRRO, AQUI NO EXTREMO LESTE DE SAMPA, E EM OUTRAS CIDADES DO PAÍS, ENSINEI DIVERSOS MENINOS QUE HOJE PAGAM SUAS CONTAS COM O JATO DO SPRAY.
LEVEI MEUS RECADOS E ENSINAMENTOS ATRAVÉS DA ARTE:
SIM, PICHAR AINDA É ARTE...
É MINHA FORMA DE VIDA.
SOU E ESTOU FELIZ.
......................................................................................
NAQUELA FRIA E NEBULOSA MADRUGADA DE 81, A GLÓRIA FOI CORRER DA POLÍCIA, POR ALGO QUE, NUM FUTURO INIMAGINÁVEL, IRIA SUSTENTAR MEUS FILHOS!
E HOJE, A LEI POR FORÇA DA ARTE DE UM BANDO DE MOLEQUES, É OBRIGADA A NOS RESPEITAR.
VALEU A PENA!!!!

4 de out de 2010

VERGONHA

CASO  #1 
         Agência do Correio, Vila Ré. SP. Mais ou menos três horas de uma tarde quente e abafada. Eu estava na fila aguardando atendimento, entrei ali pra procurar um numero de CEP.
         Na fila ao meu lado, que era da caixa de atendimento preferencial, estava um senhor com uns setenta anos e no guichê outra idosa sendo atendida. 
         Na fila, atrás de mim, chegaram duas garotas muito acima da média, pelo menos em beleza, e pelo papo delas também me pareceram muito educadas e gentis. Conversavam amenidades, mas não sei bem por que, percebi uma certa afetação na fala de uma delas. Loira (falsa, como a maioria no país), alta, com trejeitos delicados e muito bem cuidada. 
         Enquanto estou nessas confabulações, o gichê a minha frente liberou e eu de forma até automática, me virei para o senhor na fila do lado, toquei em seu ombro e disse:
        -O senhor pode ir lá que a caixa liberou...
        -Ah! Muito obrigado - Disse-me ele e foi fazer  suas transações.
        Eu fiquei ali na fila, com cara de escoteiro que acabou de atravessar velhinha na rua... E estou curtindo a minha gabolice quando percebi atrás de mim, algumas reclamações indignadas...
        -Você vê, né? Já não tem caixa preferencial? - era a loira falando...
        - Esse povo pensa que a gente não tem o que fazer também....- Respondeu a amiga.
        - A gente também tem pressa e ainda ficam deixando esses véios passar na frente...- 
       Como estava eu com fones de ouvido, talvez elas pensaram que eu não estava ouvindo, mas pra surpresa das dondocas, a bateria tinha acabado e eu nem me dei conta. Me virei e disse cordialmente para as duas:
        -Desculpe, mas ele é bem idoso, não demora nada. 
        Eu tava até disposto em ceder meu lugar pra elas assim que o senhor terminasse de ser atendido, mas...
        - É foda! eu ja tô atrasada que só e ficam atrasando ainda mais. - É, caro leitor, a gente tem que ficar ouvindo esse tipo de coisa.Só que dessa vez era a morena.
        E eu me virei pra trás ainda muito comedido e disse :
        - É a lei!...- E me virei de novo sem dar margem a respostas. Mas elas continuaram falando.
        - Não sei pra que que tem essas leis - Falou a loira,. - É só pra atrasar a vida. E ainda tem gentinha que fica bancando o bonzinho só por causa da lei.
        Aí eu me danei, né? Imagina só, se este velho punk ia perder a oportunidade? Me virei para elas e fuzilei:
        -Suas retardadas, infelizmente, o país precisa desse tipo de lei, por causa de gente maleducada igual vocês! É de ficar envergonhado de morar num país desse, onde precisa de leis pra garantir direitos que a gente aprende em casa com o pai e a mãe...Sua idiotaretardada! - As duas viraram dois bichos e começaram a me xingar! kkkk e você acha que eu ligo?
       O Senhor que estava no guichê ficou olhando constrangido e eu disse pra ele:
        -Fica tranquilo aí Tio, que eu seguro as pontas aqui. Mas as suas desandaram a falar asneiras típicas de gente que tá acostumada a resolver suas contrariedades com  manhas, birras e gritos histéricos... Coisa de criança birrenta mesmo.
       O homem saiu do caixa e me agradeceu ainda que constrangido, eu me desfiz em deferências e me dirigi para pegar meu cep, e quando ia saindo, as duas ainda estavam falando, só que agora falavam com um homem que estava num balcão ao lado e que era funcionário dali do correio eu me virei prá ele e fuzilei de novo:
       -Tá se metendo em  conversa dos outros por que?  O assunto é contigo, vai segurar bronca das idiotas aí, só por que são  bonitinhas?...
      -Não. Desculpe...-respondeu ele com o cú-na-mão , por não saber onde estava se metendo...
      
       Eu fui embora na esperança de que daqui uns cinquenta anos, aquela moça se encontre na mesma fila preferencial, de preferência, lotada de velhinhas iguais ela...aí ela vai pensar:
     -Ai meu Deus, como seria bom ter aqui na fila, um rapazinho educado como aquele punk agora...
............................................................
     Até esse dia e ainda me perguntava da crueldade de alguns tipos de leis, tipo essa que prevê atendimento preferencial pra determinados tipos de pessoas. Mas eu já sabia a resposta. Crueldade porque a pessoa em questão: gestante, deficiente, idoso, obeso e etc, as vezes fica constrangido de ter que reclamar o seu direito. 
     Aliás a tal lei diz que preferencial é o atendimento, não o caixa do banco, o assento no ônibus, o guichê nos Correios, a senha no posto de saúde e esse monte de tranqueiras que criam pra dificultar o seu acesso e facilitar o trabalho deles... 
    O banco não coloca mais atendentes para que o atendimento seja satisfatório. Apenas designa um guichê pros excluídos pela lei de atendimento preferencial... Engraçado isso, né? Criam uma lei para incluir, que na prática, exclui... 
     Esse país cada dia me espanta mais. Eu já devia estar acostumado, mas algumas coisas fogem da nossa compreensão. Faz um tempo que eu ando com vergonha de ter nascido no Brasil... Você já se sentiu assim? Bem vindo ao clube. Se não,... Merda! Com que turma você está andando?

12 de set de 2010

CRIANÇAS

Não sei bem por que... mas num dia qualquer a oito anos atrás eu quis ter um filho. Sei lá, tinha pavor disso. Nunca quisera antes ter nenhum...
Sempre achei uma responsabilidade medonha ter um ser em suas mãos para ser construido. Como ele será? Será que vou conseguir criar um grande ser humano? Ou só mais um ser mediano? Ou pior ainda: um ser daqueles miseráveis que só vem ao mundo para atrapalhar a existência? Dele e dos outros...
Por isso eu me atrasei pro combinado com a Existência e decidi que seria pai já com trinta e seis anos nas costas... Talvez tarde pra ser pai. Eu tava quase virando avô e não era pai... 
Mas nesse caso de ser pai, o que determinou o meu querer foi a morte do meu. 
Uns anos antes meu irmão mais novo teve seu primeiro filho e, no caso, o primeiro neto do meu pai... A alegria dele com aquele pequeno ser era de admirar.
Mas deixa eu explicar a morte do meu pai e vc vai ver como é que as leis do mundo funcionam: meu pai morreu aos sessenta anos vítima de um cancer no pancreas causado pelo alcoolismo. Morreu feio, vou lhe poupar de detalhes sórdidos, que não são o objetivo deste texto, mas o médico que tratou dele disse que ele passaria dos cem, se não tivesse bebido tanto...
Eu ficava aflito em ver meu pai carregando o nenem com um ano ou pouco mais, numa daquelas cadeirinhas que vc põe no guidão da bicicleta. E bebia... ia da casa do meu irmão, pra nossa carregando o pequeno Tuiuiú, parando de butiquim em butiquim, de amigo em amigo, dando 'bom-dia' pra cachorro no meio da rua... essas coisas que os bebuns sem noção fazem....
Mas nunca caiu, ou derrubou a criança. Isso é uma certeza nas leis do Cosmos: Deus protege os bêbados e as crianças. Principalmente se estiverem juntos.
E ele se foi. Seu neto tinha três anos.
E dias depois eu fiquei matutando: 
-"Caraio, seu retardado, seu pai morreu e você não deu essa alegria pra ele?"
Não dei essa alegria pro meu pai. E um dia resolvi ter filho. Dar alegrias pra alguém, minha mãe, meus irmãos...
Algum poeta já disse que um sujeito quando é um completo imbecil e não consegue fazer nada, faz filhos...É a única doidice ao alcance do homem comum...

Numa noite de sábado, estávamos eu e ela pelados em cima da cama...Um analisando o outro, apesar de que estas noitadas divertidas já duravam mais ou menos um ano,  ainda estávamos nos analisando...Camisinha sempre, já que eu não queria ter filho... 
Durante várias vezes nesse ano eu terminei o namoro, não queria compromisso...Não tinha responsa nenhuma que dirá pra ter filho? Passei a minha vida até então só viajando, acampando por aí com um bando de doidos, curtindo o rock'n'roll, tocando violão, fazendo graffiti nas paredes dos outros...Essas artes todas e meu pai ainda dizia:
-O que mais me admira em você é que tem besta que te paga prá fazer isso... - E dinheiro nunca foi o meu problema: Eu nunca tive muito, mas sempre ganhava bem. Mas também gastava bem. Nem patrimonio consegui juntar.
Mas eu tive empregos sérios: fui desenhista, impressor, letrista, aquarista, até trabalhei por um ano e meio numa rede de fast food famosa por aí...Mas não me adaptei, nunca consegui ficar trancado muito tempo. 
E jamais conseguiria me reproduzir em cativeiro... 
Montei alguns ateliês, fiz trabalhos por encomenda, pintei para-choques de caminhões... Nada que funcionasse como salário. Nada de acumular bens, fazer seguro de vida, previdência, aposentadoria,,,
Muitos amigos, muitas viagens e muita arte. Essa era minha vida. de noitada em noitada, de praia em praia... Até que nessa noite eu olhei dentro dos olhos dela, no meio de uma análise, e disse:
-Vamos ter um filho?- E ela respondeu:
-Sim, vamos...-
Sabe o que é responsabilidade? É o fato de um sujeito ter que encarar algo por que não pode correr antes...
Pois é: eu a e a minha boca, mas fazer o que? Agora já está decidido.
Saber que uma mulher está grávida é a coisa mais corriqueira, mas pra mim foi como fazer aquele gol de trivela , com curva e tudo por cima da barreira... e o goleiro depois de distender toda a musculatura das costas, chegou trinta e quatro milésimos de segundo atrasado para a sua próxima câimbra...
Muita alegria, mas muita preocupação. E hoje e já não sei mais de onde vem a responsabilidade que eu nunca tive. Sempre achei que o que eu ganhava não iria dar, mas hoje em dia o dinheiro aparece... Mas quando eu não tinha filhos, tinha que correr atrás da grana. 
Como diria Marley: "And Jah Provide the bread..." Poético e verdadeiro.
É uma coisa que me draga, consome, mas é uma experiência magnífica. não consigo mais pensar minha vida sem eles. Sim. Eles! Hoje tenho dois. Não sei se é impaciência de vê-los crescer ou de querer que continuem pequenos. Não sei se trabalho que nem um idiota pra deixar uma boa vida pra eles ou se os ensino a se virarem, por que não sei se vou ter tempo de conseguir tudo isso junto. Não sei se os ensino o meu caminho de vida ou os incluo no sistema.
A minha agonia foram os partos. Sei que não posso querer me igualar a mãe, uma criatura divina e generosa, mas a minha aflição era maior que dela. Vieram dela, mas ela se recuperou bem depois de duas semanas de ter dado a luz, mas eu estou atônito até hoje... 
A minha perplexidade vem da dúvida... Como será que vão ser, como vão viver...Serão bons homens? Ou não.  Nessa minha vida de pai solteiro (eles moram comigo há tres anos) não sei se vou sobreviver se eu falhar na construção desses dois seres....











Uns dias depois da morte do velho, essa criança parou no fundo quintal, onde ele lhe fazia brinquedos, lhe dava doces e brincavam juntos. Já fazia tempo que ele não via o avô, ele esteve internado por quarenta e cinco dias e faleceu. A gente tentou explicar, sem dizer que morreu, que o Vô Madú, seu apelido, não iria mais voltar...  
O garoto juntou alguns carrinhos, um banquinho de madeira que o vô fez, sentou muito solene e do alto dos seus tres anos, olhou detalhadamente e longamente em volta, como que procurando...
E chorou... 



22 de ago de 2010

SHOPPING (Ou a balada do playboy desiludido) Punky, 1999.



Essa solidão...
Vou comprar amigos no mercado virtual.
Vou procurar valores de vida, no Jornal Nacional.
Comprar uma mulher, perfeita, manequim,
Numa dessas vitrines de um shopping nos Jardins.

Tem algo errado quando um carro vale mais,
Que uma dessas meninas que se vendem nos sinais.

Todos mentem o tempo todo, e criam os seus mitos.
E deles eu me vingo, fingindo que acredito.
Eu tenho a impressão que sou muito querido,
Mas o meu cartão do banco é que diz se sou bem-vindo.

Essa solidão uma máquina de torturas.
Essa solidão ainda me leva a loucura.

E pra eu ser feliz, só falta um detalhe:
Que não é importante mas, detalhes são detalhes.
Em quem que eu vou pisar pra conseguir dinheiro?
Pra pagar as minhas contas, pra tapar esse bueiro?

Tem algo errado, quando as televisões,
Me vendem o amor em suaves prestações...

Essa solidão...
Essa solidão...
Essa solidão...

20 de ago de 2010

VC PRECISA VER ISTO...- A história das coisas.

hum!!! divirta-se

.  
Este vídeo retrata bem uma situação que não tem prazo pra acabar.
Apesar dos governos empresas e a mídia dizerem o contrário, esse vídeo mostra só uma pequena idéia do realmente acontece na pequena e velha Terra.
Claro, não interessa para quem lucra alto com isso tudo, dizer pra vc que o Planeta vai pro saco mesmo, eles precisam ficar fazendo propagandas enganosas, dizendo para as pessoas que ainda há esperança, que se vc reciclar, economizar energia, plantar árvores e cuidar do planeta, a situação se resolve.
Resolve nada! Mas vc pode argumentar que eu to sendo muito niilista, então responda vc mesmo.
1- Vc vai parar de consumir como um doido do tipo que troca de celular só por que mudou o modelo? Ou ficar ajuntando aquelas malditas sacolas de mercado?
2- Vai parar de andar de carro?
3- Vai parar de usar baterias altamente venenosas que tem  nos seus eletrônicos?
4- Vai deixar de se beneficiar a curtíssimo prazo dos prazeres e facilidades da tecnologia?
5- Vai voltar a viver em cavernas, ou voltar prá uma vida mais simples, tipo a vida rural?
Se a resposta a essas perguntas for 'não', então bem-vindo ao clube dos grandes destruidores da Terra.
Sim, Clube dos Destruidores da Terra. E fica esperto, nesse clube ainda vão entrar os gigantes populacionais que ainda não tiveram o gostinho de apreciar as benesses desse inferno consumista: China, Índia, e vários países africanos e asiáticos. Inclusive o nosso Brasil...
Lembro que no meio dos anos 70, na minha cidade (São Paulo), haviam 400 mil carros em circulação (1 pra 10 hábitantes), hoje existem quase 5 milhões (1 pra 2 habitantes) ou seja, a frota cresceu 10 vezes em 30 e poucos anos... E continuam comprando carros como maníacos, aliás pra quem nunca foi nada, ter um carro já é um bom começo pra parecer ser alguém, né? E por aí vai a nossa mediocridade...
Estima-se que na China devem entrar pelo menos uns 100 milhões de carros nas próximas décadas...
Notou ? Nos estamos presenciando o fim de uma era.
Para começar a pensar em reverter a situação, o abuso no uso de recursos naturais não-renováveis, os grandes desmatamentos e a produção de grandes massas poluidoras como carros, caminhões, ônibus e outros deveriam ter sido completamente paradas a 8 anos atrás... O planeta já alcançou seu limite de nos suportar...
Duvida? Tá bom...Então para de ficar mandando recados inúteis no orkut e começa a ler estudos interessantes que são publicados nessa net mesmo. Pra ver se consegue ensinar algo mais pro seu filho do que as inúteis Colheita Feliz ou Mini Fazenda... Falando em filho, comece ensinando ele a plantar de verdade, a criar galinhas, pescar (se é que vai sobrar alguma água com peixes). Ele vai precisar, por que daqui mais alguns anos, não vai ter mais nada no mercado pra comprar e acho que nem mercado.
Ainda não acredita? Então tá! Pode ficar com esse mundinho, achando que tô falando besteira. Talvez você seja daqueles idiotas que pensa: 'Não vou estar vivo mesmo pra ver isso acontecer!" 
Né não? Sangue bão?

19 de ago de 2010

-ALFRED!!!! TRAZ O NEVE!!!

?
NÃO VOU MAIS VOTAR!
E isso é uma promessa.
E vou dizer por que. Não me interessam mais as penalidades, as multas... Fodam-se!
Eu comecei votar em uma época que gente era privado de um monte coisas, inclusive de votar, por causa de um nojento regime militar. Na época, apesar de ser punk e anarquista, a gente acreditava que podia mudar as coisas mas, 26 anos depois, cheguei a conclusão final do que eu já desconfiava a 20: nada vai mudar!
Mudaram a merda e as moscas continuam as mesmas... Aliás, nem mudaram muito a merda...
Eu não vou mais entrar no sistema de habitação do governo, não vou mais viajar pra fora do país, nem fazer inventários...Não vou mais precisar de comprovante de votação. Vou me preocupar com eleições por que?
Ah!, mas você vai dizer: 
"-Você precisa participar da vida política do país...senão a coisa vai continuar como está..."
Pois é, eu também pensava assim quando comecei votar, mas parece que só eu que penso. Você pode pensar, mas na prática não faz nada também, vem votando nos mesmos cretinos eleição após eleição...Todo mundo fala mas ninguém até agora, conseguiu explicar de forma clara pra população o que é esse tal de voto consciente, inclusive eu já tentei descobrir, mas...
Como votar de forma adequada se só aparecem cretinos se candidatando pra se locupletar do dinheiro público, pra se eleger e encher o rabo de dinheiro?
Como votar de forma adequada se dos políticos que a gente achava honestos, não sobrou ninguém que não tenha um processo de corrupção? Ah! Sobrou? Quem? O Suplicy? KKKK!!! Não me faça rir...
Pois é, depois dessa merda toda no ventilador, com dinheiro nas cuecas, com gente de confiança do governo e do povo, gastando essa dinherama toda, só não espirrou merda no Suplicy.
Vou tentar explicar em poucas palavras o que significa esse 'democracídio'. Seguinte: a merda não muda, por que as pessoas são (des)educadas prá se manterem cordeirinhos obedientes, as pessoas recebem essa educação pública pobre e inbecilizante, inclusive com a ajuda da mídia, pra que esses porcos continuem no poder.
O povo é um monstro gigantesco sem cabeça. É gigante e não sabe a  força que tem. E menos ainda pra onde vai. 
E a maioria das pessoas do povo que se candidatam, no fim acabam entrando no esquemão dos safados. Tenhos vários conhecidos assim, andaram comigo, lado a lado, com idéias de libertação, de igualdade, de resolver os problemas do país, mas depois que se elegeram ou arrumaram algum cargo público, tão nem aí pros amigos, pro povo que defendiam...
Chega! Não voto mais, sai mais barato pagar a multa, que é uma ninharia perto do preju que eu tenho no meu trampo cada vez que temos que parar tudo pra ir votar nessa raça criminosa de políticos safados...Ou então vou aproveitar o feriado pra passear e quando estiver na cidade escolhida pra vadiar, entro na agencia do correio e voto em trânsito, só pra não ter que anular ou votar em branco nesse papel higiênico perfumado... É isso mesmo, a política é um daqueles papéis higiênicos perfumados que vendem no mercado: suave, absorvente e cheiroso, mas no fim vai ser atolado num cú-de-merda!


-Alfred!!! Traz o Neve!!!!!!


Outra dúvida cruel: O Nobre Deputado saberia me dizer pra que perfume no papel de limpar a bunda?
E não me provoca não, que eu começo a dar nomes aqui.
Sorry Baby...

MEMÓRIAS DE UMA BARATA CINZA

       Uma barata caminha por cima de destroços. Destroços de algo que em algum tempo foi uma tábua de cortar carne...Lembra aquele churrasco em família, gente sorrindo, comendo e crianças fazendo aquela lambança de chocolate da cobertura do bolo... Em algum lugar da pequena falta de cérebro daquela barata, havia uma vaga lembrança de algo que parecia comestível...carne talvez.
       Carne não existe mais. Ao lado da barata há uma garrafa pet, daquelas que levam trocentos anos pra se desintegrar, mas até agora nada. A coca que havia dentro dela, há muito evaporou.
       Ah! A barata e a carne, fazia tempo que ela não comia nada, mas não sentia fome, só lembrava do cheiro, mas não havia mais carne, nenhuma. Aqueles tais de humanos que eram feitos de carne, há muito haviam acabado com tudo, se exterminando. 
      Eles começaram fazendo cercas e se apropriando do que era de todos, depois começaram a achar que algumas coisas dentro da cerca valia mais que as outras...A fruta que um plantava demorava mais crescer do que o legume do vizinho, aí esse humano queria mais legumes do que de costume, pra trocar por sua fruta.
       Depois, teve um idiota que descobriu um tipo de metal e como o metal era muito útil, mas muito raro, ele trocava o seu metal por um ano inteiro de frutas e verduras dos outros dois. Dois imbecis claro, se eles tivessem, lá no começo derrubado a primeira cerca e dado uns tapas na fuça do primeiro mesquinho, fazendo ele entender que aquilo era de todos e não só de quem põe a cerca, o mundo seria outro.
       Mas não foi o que fizeram, eles adoraram a ideia de ter um pedaço do planeta só pra eles e fizeram cercas também. Também acharam ótima a ideia de ter metais e quiseram acumular mais metais raros do que os outros...
      No começo isso foi interessante, achou a barata. Pois ela achava bons lugares pra viver junto desses humanos, que eram uns porcalhões e viviam deixando restos de frutas e legumes por aí, nos seus lixos, nos seus esgotos...
     Por seu instinto, ela não sabia se isso era memória dela mesma, ou de outras baratas mas, que diferença faz? O instinto é genético, não é mesmo?... Às baratas só interessa a sobrevivência, não interessa nem se são imunes á radiação, como disse um daqueles humanos metidos a besta. Mas agora ela percebe que talvez ele tinha razão: só sobrou ela!
      E de fruta em fruta, de legume em legume, eles chegaram na radiação. Por quê que foi mesmo? Ah!, ela lembra... Aqueles metais. Um dia um deles achou que tomar os metais e as frutas do outro era muito mais fácil do que plantar ou cavar. E foi o que fez.
         Os outros perceberam que se não tomassem nenhuma atitude, logo todos estariam tomando as coisas uns dos outros e escolheram um em que confiavam mais para deixar seus metais, e passaram a por a suas marcas em pequenos pedaços de metais e carregar consigo para pequenas trocas, outros mais espertos ficaram com a maior parte do metal guardada por outros humanos revestidos de metais e armados com pontas desses metais...
      Daí pra começarem a se matar por essas coisas foi um pulo. Até que chegaram na radiação. Mas a radiação não acabou com tudo, eles não poderiam acabar com os metais também, senão tudo iria pro buraco. E passaram então, a fazer todo mundo acreditar que aqueles metais deveriam ser a meta de todos. E todos acreditaram! Passaram a ter como objetivo só acumular essas coisas, os metais passaram a ter valor em papel, pra evitar que o fossem roubados por outros que não queriam trabalho, e esse nem tinha mais valor...trabalhar pra que? Se acumulando as coisas se vivia melhor?
        Depois de um tempo estavam todos brigando entre si pra ver quem acumulava mais coisas, inclusive aqueles que roubavam essas coisas dos outros. E as cercas passaram a ser feitas de metais e foram aumentando de tamanho. Mas isso não adiantou, pois onde haviam cercas os que roubavam passaram a sequestrar as pessoas pra passar nas cercas e roubar mais coisas...
       E os humanos foram indo assim, de cerca em cerca, de metal em metal, se matando e criando esse monte de destroços das coisas que acumulavam e que iam ficando velhas e quebradas. Montes e montes de entulhos e destroços foram cobrindo os campos, os rios, os mares e os humanos foram sumindo...
       Faz tempo que ela não vê um humano, antes ainda tinha restos deles pra comer, mas agora, nem restos...
........................................................
......................
............
     Um amigo nosso conta que há uns vinte oito anos fez sua primeira casa. Era uma casa pequena feita no terreno da casa de sua mãe. Como é comum entre o povo mais pobre da população, faz-se uma casinha no terreno da casa dos pais, até que se consiga construir ou comprar a própria casa.
    Depois de alguns anos ele comprou a casa própria, um pequeno apartamento num conjunto habitacional na periferia de uma grande cidade. Passados esses anos todos, sua filha depois de um longo namoro, resolveu casar e eles resolveram que iriam morar naquela velha casinha no terreno da avó.
    Meu amigo voltou a ir lá nas suas horas de folga dar uma garibada na casa, que durante estes anos teve outros usos e precisava de uma reforma, tapar buracos, fazer pintura nova, reparar o teto, coisas que que a nova velha casa iria precisar pra receber os pombinhos...
    Depois de várias coisas, resolveu quebrar um ponto da parede, acho que pra por uma tomada nova. E achou uma barata cinza no buraco que fez no bloco!
   Provalvelmente quando ele construiu aquela parede, a barata já estava dentro do bloco e ao cimentá-lo, prendeu a barata... 
Rebocou a parede pintou, morou lá por mais de uma década, mudou-se...
E depois de vinte e oito anos ela estava  lá!! Tonta e hibernante, mas viva...
     

17 de mai de 2010

DOM....

-Ó, ESSA CONVERSA DE DOM, BRÓDI...DE NOVO!!!
NÃO, NÃO ACREDITA NISSO, NÃO. 
-EU NÃO CONSIGO DESENHAR NEM UMA CASINHA...
-ENTÃO, É ISSO! VOCÊ DIZ QUE NÃO CONSEGUE, POR QUE VC NÃO DIZ QUE CONSEGUE? 
ESSA COISA DE ACHAR QUE ARTE É DOM, É BESTEIRA, O PIOR DE TUDO É QUE TEM ARTISTA POR AÍ QUE CONCORDA.
AS PESSOAS DIZEM QUE ELE TEM UM DOM E ELE FAZ AQUELA CARA DE QUE É UMA PESSOA ESPECIAL, 
ESCOLHIDA POR DEUS...E DIZ NAQUELA FALSA MODÉSTIA: "DEUS ME DEU ESSE DOM..."
E POR FALAR EM DEUS... EU ACHO QUE O ARTISTA NÃO É MELHOR DO QUE NINGUÉM, 
NO FUNDO TODO MUNDO NASCE COM O MESMO CÉREBRO, O USO QUE SE FAZ DELE É QUE É O PROBLEMA. 
ESSE PAPO DE DOM, VÉIO, ME DÁ IMPRESSÃO DE QUE ALGUNS NASCERAM COM ALGO MAIS DO QUE OUTROS. 
E DEUS NÃO É BURRO! DIZER QUE ALGUÉM NASCEU COM DOM É ACREDITAR PIAMENTE QUE A EXISTÊNCIA FICA ESCOLHENDO O SER...

DEUS NÃO ESCOLHE NADA, ELE NOS DÁ A OPORTUNIDADE DE SERMOS...NÓS É QUE ESCOLHEMOS O QUE SEREMOS.
EU ESCOLHI A ARTE, EU ESCOLHI SER ARTISTA. TEM GENTE QUE ESCOLHE SER PEDREIRO, OU NÃO. 
VIRA PEDREIRO POR CIRCUNSTÂNCIAS, POR QUE PRECISA DE DINHEIRO PRA COMER...
TEM GENTE QUE ESCOLHE SER ENGENHEIRO, OU VIRA ENGENHEIRO POR QUE PRECISA 'TER'... TER BENS, TER STATUS, TER DINHEIRO...
TER APROVAÇÃO DA FAMÍLIA E DO GRUPO EM QUE VIVE.
O PRINCIPAL PROBLEMA DO TER É QUE ELE SÓ VISA O IMEDIATISMO. A EDUCAÇÃO ATUAL, POR EXEMPLO, VAI LADEIRA ABAIXO, CARA.
POR QUE SÓ UMA FRAÇÃO ÍNFIMA DOS PROFISSIONAIS DE ENSINO QUE 'SÃO'... QUE É O MÍNIMO QUE SE ESPERA DE UM PROFISSIONAL DESSA ÁREA..
O RESTO É SÓ PRA TER EMPREGO, NÃO SÃO REALMENTE COMPROMETIDOS COM A FORMAÇÃO DO SER HUMANO
EU TENHO TRABALHO, NÃO TENHO EMPREGO.
GERALMENTE, NOS MEUS CURSOS, A PRIMEIRA COISA QUE EU OUÇO DOS ALUNOS,
É QUE ELES GOSTAM DE ARTE, MAS NUNCA LEVARAM JEITO...E A MINHA MISSÃO NO PRIMEIRO DIA DE AULA É PROVAR O CONTRÁRIO.
E É FÁCIL PROVAR ISSO! COM DOIS OU TRES EXERCÍCIOS, O ALUNO COMEÇA DESENHAR QUE NEM GENTE GRANDE, 
MAS O QUE EU QUERO É QUE ELES PINTEM COMO CRIANÇA...KKKKKK. 
SEM PRETENSÕES, SEM JULGAMENTOS PROLIXOS, MEU IRMÃO.
NO FUNDO A GENTE DESCOBRE É QUE GOSTA MAIS DISSO OU DAQUILO, E MAIORIA DAS PESSOAS, NUNCA DESCOBRE,
PASSAM PELA VIDA FAZENDO COISAS QUE SÃO RESULTADO DO ACASO. E A ESCOLHA É CONTRÁRIO DISSO.
TIVE A OPORTUNIDADE DE FAZER VÁRIAS ESCOLHAS NA VIDA 
E ESCOLHI A ARTE POR QUE ELA SEMPRE ME PERMITIU PENSAR ALÉM DOS DEMAIS. 
E ERA ENGRAÇADO OS ADULTOS ELOGIAREM UMA CRIANÇA QUE FAZIA PERGUNTAS COMPLICADAS, QUE FAZIA DESENHOS EXPLICANDO ESSAS PERGUNTAS. 
E DEPOIS EU ACABEI DESCOBRINDO QUE AQUILO QUE EU FAZIA TAMBÉM RENDIA ALGUNS TROCADOS...
SE A MINHA ARTE VAI DAR DINHEIRO, SE VAI SER EMPREGO É OUTRO NEGÓCIO... É OUTRA HISTÓRIA...
SEMPRE ME FOI IMPORTANTE FAZER ARTE, ARTE É UMA NECESSIDADE QUE LIBERTA,
LIBERTA PRA PENSAR, PRA SER INTELIGENTE, PRA SER QUESTIONADOR...
NA REALIDADE A ESSÊNCIA DA ARTE É ISSO: TE FAZ PENSAR DE MODOS DIFERENTES DOS DEMAIS. 
CADA COISA QUE VC PENSA EM PINTAR TE FAZ PROCURAR POR MAIS.
MAIS INFORMAÇÕES, MAIS DIFERENÇAS, MAIS DÚVIDAS, MAIS RESPOSTAS.
MAIS BUSCAS, A VIDA É UMA BUSCA. É UM PROCURAR. E EU ACHEI!!!
PROCURAR, É O QUE EU QUERIA ENCONTRAR.
O QUE PODE SER MELHOR? 

AH! A MÍDIA...



MÍDIA? QUE MÍDIA, VÉIO... EU NÃO QUERO A MÍDIA, JÁ TRABALHEI PRA TVS, AGÊNCIAS, MAS NÃO DÁ...
ESSES CARAS SE ACHAM OS DONOS DA CULTURA DO PAÍS...
TV POR EXEMPLO: É CONCESSÃO PÚBLICA, MAS QUAL É O PAPEL DO PÚBLICO NAS TVS? É SÓ FICAR ASSISTINDO...MACACAS DO SILVIO SANTOS...
JÁ ACONTECEU DE EU MUDAR OS CANAIS DAS TVS, TER ZEZÉ DI CAMARGO E LUCIANO PASSANDO EM QUATRO CANAIS!!!
MEU,!! ABSURDO!! ESSES CARAS NEM CONSEGUEM REPRESENTAR A CULTURA POPULAR DIREITO,
POR QUE A MÚSICA QUE ELES FAZEM É UM ARREMEDO DE MÚSICA SERTANEJA.
AH MAS VC VAI DIZER: - O POVO GOSTA, COMPRA DISCO, VAI EM SHOWS...
POIS É. GOSTA POR PURA FALTA DE OPÇÃO? NÃO TEM MAIS O QUE VER...
ALIÁS, MEU AMIGO, ISSO É DE PROPÓSITO! FAZ PARTE DA MANUTENÇÃO DO POVO NA IGNORÂNCIA.
PRA ESSA RAÇA DE POLÍTICO CUPINCHA DA GLOBO, NÃO INTERESSA UM POVO INTELIGENTE.
COM O POVO INTELIGENTE ELES NÃO TEM COMO SE PERPETUAR NO PODER, ELES NÃO TEM COMO SE CORROMPER.
E ELES, COMO GOVERNO, NÃO VÃO FAZER NADA PRÁ ISSO MUDAR. A TV, O RÁDIO, SÃO CONCESSÕES PÚBLICAS, OU SEJA,
EU E VOCÊ QUE CONCEDEMOS ATRAVÉS DE ÓRGÃOS GOVERNAMENTAIS, ATRAVÉS DE POLÍTICO SAFADO EM QUEM GENTE VOTOU.
A DEVERIAM HAVER LEIS PRÁ FAZER COM QUE AS EMISSORAS MOSTREM TODO TIPO DE CULTURA POPULAR...
QUE ELA TENHA, HORÁRIOS ESPECÍFICOS E OBRIGATÓRIOS PARA MOSTRAR GENTE DO POVO, QUE SABE FAZER ARTE.
POR EXEMPLO, MANO: AQUI NO MEU BAIRRO EU CONHEÇO DEZENAS DE EXCELENTES MÚSICOS, POR EXEMPLO O DINHO DE SOUZA, O MAESTRO ZITO, O PROFESSOR ADEMAR, O TCHAPOTÍ, O CLÁUDIO PANK,MAS ELES SÃO ILUSTRES DESCONHECIDOS, NÃO HÁ OPORTUNIDADE NA MÍDIA PRÁ ELES.
AS TVS DEVERIAM SER OBRIGADAS POR LEI A RECEBEREM ESTES ARTISTAS, DAR A ELES A MESMA PRODUÇÃO QUE É DADA PRO ZEZÉ.
AI SIM! AÍ VOCÊ IA VER SE O PÚBLICO IA CONTINUAR COM A MESMA OPINIÃO SOBRE O ZEZÉ..
E O SEU ZÉZINHO DA SANFONA? TOCA DE GRAÇA POR AÍ, PELO PRAZER DE TOCAR...
E ATÉ POR QUE OS DONOS DE CASA DO NORTE ONDE ELE TOCA, NÃO SABEM VALORIZAR ESTE TIPO DE ARTISTA,
ACHAM QUE ELE TOCA A TROCO DE PINGA E ELE NEM BEBE!!!!
MAS SE VISSEM O SEU ZÉZINHO EM HORÁRIO NOBRE NA TV, PROVAVELMENTE O VALORIZARIAM MAIS...
E AÍ VOCÊ VÊ ISSO: OS MESMO DE SEMPRE, SEMPRE NOS MESMOS CANAIS, TODO MUNDO ENCHENDO O RABO DE DINHEIRO,
E GENTE MUITO MELHOR, TÁ POR AÍ PERDIDA, SENDO IGNORADA POR ESSA MÍDIA PODRE...E POBRE!!!
 É POR ESSA E POR OUTRAS IGUAIS, QUE ARTISTA MORRE DE FOME NO PAÍS.
E ISSO TEM QUE MUDAR: COM A PALAVRA OS NOSSOS IGNÓBEIS DEPUTADOS QUE FAZEM ESSE TIPO DE CONCESSÃO SÓ PRIVILEGIANDO MULTINACIONAIS, GRANDES GRAVADORAS E AQUELES MESMOS IDIOTAS DE SEMPRE NA TELINHA E NO RÁDIO..
AH! TEM MAIS, HEIN: O JABÁ, NÉ? JABÁ CARA!!! NÃO SABE O QUE É? É O SEGUINTE: AS GRAVADORAS PAGAM PRÁS RÁDIOS TOCAREM OS SEUS ARTISTAS, O CD NOVO, ESSAS COISAS...SE VC QUISER VIRAR UM POP STAR É FÁCIL: EU CONHEÇO RÁDIO POR AÍ QUE COBRA 100 MIL REAIS POR MÊS PRÁ TOCAR A SUA MÚSICA SETE VEZES POR DIA EM HORÁRIO NOBRE....
É PODRE MANO. A RÁDIO, QUE TAMBÉM É UMA CONCESSÃO PÚBLICA, COBRA DO ARTISTA PRÁ TOCAR A ARTE DELE NUM ESPAÇO QUE JÁ É DELE POR DIREITO....
MAS É ISSO, O POVO ADORA SER ENGANADO...
UM AMIGO NOSSO, EDUARDO MARINHO, ARTISTA PLÁSTICO E PENSADOR LÁ DO RIO DE JANEIRO, CONCLUI O SEGUINTE:
"Não dá pra responsabilizar a vítima. É preciso mergulhar, profunda e amorosamente, na realidade da maioria, pra não cair nessa armadilha de milhares de anos. E perceber que o povo não é infantil, idiota, imbecil, mas deliberada e minuciosamente infantilizado, idiotizado e imbecilizado. A conseqüência não é a causa, embora possa alimentá-la."
POR ISSO GENTE, ACORDA! PAREM DE ALIMENTAR ESSA TRAGÉDIA DIÁRIA...

14 de mai de 2010

AOS TRANCOS E BARRANCOS.

Vinham caminhando pela avenida, latas de tinta spray nas mãos. Hora? 2h. da madrugada de um domingo, por aí.... Caminhavam há uma hora mais ou menos, saíram de um salão de punks no bairro do Bom Retiro (O Templo do Rock’n’Roll) e já estavam na Avenida Celso Garcia, Tatuapé.
O baile acabou mais cedo, apareceram uns skin heads e deu uma briga feia: a vizinhança não gostou do barulho e chamou a polícia. Cassetetes aqui e ali, estiletes prá-cá e prá-lá e os dois policiais que apareceram, bateram em retirada, assim que perceberam que não eram páreo para mais de 350 punks e skins heads enfurecidos... A viatura foi incendiada e virada de rodas para cima... Deu no N.Y.T., mas não deu n’O.E.S.P. e nem no J.N. ...Coisas do Brasil.
Pararam em frente a uma lanchonete fechada àquela hora, e o papo foi esse:
-Como é que tá o seu spray?
-Dá duas anarquias bem pichadas.
- A parede parece boa, vamos lá...
Começaram pintar um imenso símbolo do anarquismo na parede nua. As roupas pretas os camuflava na penumbra da madrugada nublada. As pedras da calçada ainda úmidas da tempestade que desabou há pouco, eram as testemunhas do crime.
Saíram do Bom Retiro quando, após os guardas saírem de cena, foi anunciada, por uma gang de Carecas do Subúrbio, a presença inevitável da tropa de choque. Aí a briga equilibrava, e não estavam a fim de passar a madrugada no distrito, explicando para um delegado sonolento, o que significavam aqueles alfinetes nas orelhas e aqueles cabelos, cortados como o último grande guerreiro moicano... E ainda tinham que dar conta da viatura, que jazia com as entranhas pra o alto. Baratinhas decapotáveis, como diria Claudette Poodle.
-Merda de chuva!! A sola do meu coturno tá soltando...
-Foda-se seu coturno! Quem manda ficar comprando artigo de segunda do exército.
-Você tá hard-core hoje, hein Ted? O quê que foi??....
-A idiota da Sabrina, disse que não quer mias nada comigo, por causa da encrenca que a gente arrumou com o babaca do irmão dela!!!
-Ah!! Os punks também amam...
-Larga de ser cínico, porra! Você também arrasta um trem cheinho de merda por causa daquela metaleira babaca.
-Você nunca ouviu falar em intercâmbio cultural? E ela não é metaleira... É roqueira...
- Bela merda! São todos uns enferrujados...
-Tá, vamos acabar com essa anarquia e cair fora.
- Hum!!....
Continuaram andando e falando coisas a respeito das últimas encrencas, Ted balançava a bolinha da lata de spray, enquanto Noturno, olhava ressabiado para a bota alagada. Caminhavam com um vagar que só é possível aos Cristãos á noite, quando se refugiam do Império e da fúria de Nero...
- Meu spray secou – disse.
-É. Agora sem ônibus, só andando mesmo.
- Puta merda! Como você mora longe...
-É prá lá de São Miguel...
-Ah! A salvação...
-O quê?
-Lembrei, Noturno. Tem um resto de Martini aqui na minha mochila, que eu parei de beber quando começou a briga.
-Caraio, seu miolo-mole! Cumé que você deixa passar um detalhe importante desse?
-Tá aqui, Majestade. - e puxou uma garrafa de dentro da mochila velha. – Sirva-se.
-‘Brigado. –
Secaram o que restou dentro da garrafa em pouco tempo e caminhavam alegres madrugada adentro, falando de rock e de garotas, como há muito não falavam.
Amigos a pouco tempo, dois anos, Ted e Noturno se conheceram, prá variar, em uma briga que o primeiro arrumou com a turma do segundo.
Não deu mais encrenca, por que Noturno interveio em seu favor depois de saber, por intermédio do dono de um bar, que Ted era leucêmico e não podia ficar por aí brigando que nem cachorro-sem-dono...
A amizade seguiu seu curso normal, depois que Ted arrastou Noturno prá casa e lhe apresentou sua irmã: Lila. Que inclusive, Noturno já conhecia de outros bailes... Noturno e Lila, haviam namorado um tempo, tocaram em bandas de punk rock, shows em outras paragens... mas, haviam terminado e ficaram grandes amigos, os três, apesar da surpresa de Ted.
-E aí cara? Quando você e a Lila vão se acertar?
-Nunca. Eu e ela somos grandes amigos e só...
-Tava na torcida pra você ser meu cunhado, porra.
- Ah Ted? Cê sabe como ela é... A Lila não admite parceiro por muito tempo, ela é muito livre, e você já devia ter sacado isso: ela é sua irmã.
- Eu nunca parei prá pensar direito nela...
-Você não pensa nem em si mesmo, cara...
- E por falar em pensar, sabe no que eu tava pensando?
-O quê???? O Senhor Estava pensando? Cuidado vai feder! Merda queimada fede pacaraio.
-Vai-á-merda!
-Tá bom, Ted, tá bom: o quê você tava pensando?- Perguntou Noturno finalmente.
-Ali na frente é a Led Slay!
-É mesmo, cara! E tem um monte de metaleiros louquinhos prá pegar a gente...
A Led Slay é um desses salões que enchem de roqueiros e bichos-grilos de todas as espécies aos finais de semana, e àquela hora da madrugada era foco de encrencas para dois punks que não tinham mais nada a perder.
-Se você quiser Noturno, a gente pode dar a volta no quarteirão e não passar lá em frente...
-Não, não creio que um bando roqueiros bêbados possa ser perigo prá uma pulga.
-Então, Vamos lá!
Aproximaram-se da Led Slay, olharam o movimento de pessoas, que era pouco àquela hora da madrugada e seguiram, andando pela calçada do outro lado avenida. Havia vários roqueiros espalhados pelas calçadas em frente à Led, alguns caídos pelo efeito da marijuana queimada ou do álcool consumido... Ted levava na mão a garrafa vazia, como que agarrado á uma tábua no mar. O que não passou despercebido de Noturno.
-Você não está pensando em usar isso, né?
¬ -Não, mas na falta de um molotov, vai essa mesmo.
-Você tá louco.
De repente um dos roqueiros lá da frente da Led grita:
-Olha lá os punks!
Os roqueiros olharam e se certificaram de que eram mesmo dois punks e não miragem causada pela erva e começaram a gritar palavrões e caminhar na direção deles.
-Ih! Fudeu! Ó a merda feita...
-Deixa comigo Noturno.
-Você quer dizer: ‘deixa com a minha garrafa’?
-Isso mesmo.
-Corre Ted!
E correram, quando perceberam que os rockers faziam o mesmo na direção deles...
Ted pára de repente, grita dois dos melhores palavrões que tinha em seu estoque de obscenidades, com a mão direita fez um gesto peculiar com o dedo médio em riste e com a mão esquerda disparou o torpedo em forma de garrafa! A dita garrafa acertou em cheio a testa de um cabeludo e se espatifou na calçada junto com ele... Os amigos o socorreram e depois que se certificaram que era só um corte superficial, desembestaram a correr atrás do dois, gritando: Pega!!!
-Tá vendo? Seu idiota, a merda que você fez?
-Pára de falar e corre, senão não vai dar prá fazer merda nenhuma!!!
Continuaram correndo avenida abaixo em direção a ladeira da Penha e depois da ponte da CPTM entraram na Rua Guaiaúna em direção à Radial Leste, com pelo menos, 15 roqueiros nos calcanhares...
-Pega!!
-Mata!!
-Filho - disso!
-Filho - daquilo!!
-Corta o saco dele fora!!
Quando chegaram ao fim da rua, toparam com o muro da linha do trem, á esquerda a antiga estação da CPTM, Carlos de Campos e correram pra passarela sobre ela. Quando chegaram ao topo da passarela e passado primeiro susto, desandaram a rir feitos dois idiotas. Depois resolveram raciocinar:
-A gente precisa arrumar um lugar prá se esconder...
-Já sei! A gente se esconde na grade da passarela pelo lado de fora!
-Vamo nessa!
E pularam a grade da passarela, ficando pendurados do lado de fora...
Imagino a senhora, cara leitora, tranquilamente em casa, dormindo, seu filho de dezesseis anos, saiu dizendo que ia á casa de amigos que a senhora conhece bem, mas como a senhora não ligou prá lá prá se certificar de que ele se encontra lá... Seu queridíssimo e santo filho está, nesse exato momento, de costas para um abismo. Imaginou? Pois é. È assim que eles fazem e fazem muito bem...
O rumor dos roqueiros se aproximando foi logo percebido pelos dois, que se comprimiram atrás de um tapume de madeira para não serem vistos...
-Cadê aqueles filhos-da-puta?
-Acho que atravessaram pro outro lado!
-Vamos lá catar eles... – E foram...
Quando os roqueiros já desciam a passarela para o outro lado, Ted e Noturno saíram do esconderijo, pularam de novo a grade e desceram a passarela na direção contrária dos perseguidores.
-Caraio! Essa foi por pouco!
-Esses caras acham que é fácil pegar um punk com o cú-na-mão!
Mas a alegria dos meninos durou pouco: já na Radial, os roqueiros iniciavam a volta, desolados pela perda da presa, quando um deles gritou:
-Ó eles lá embaixo!!!
-Onde?
Lá, saindo da passarela!- E apontou a direção: a uns duzentos metros, Ted e Noturno se viravam em direção a Penha e pela gritaria causada pelos rockers, alguns guardas da policia ferroviária, se mobilizavam para ver o que estava acontecendo àquela hora em frente á estação.
Os dois pararam em frente á bilheteria e ficaram observando o movimento dos guardas e dos roqueiros, que já vinham descendo a passarela de volta.
A tática era simples:
-Seguinte Ted: A gente entra na estação, dribla a guarda e passa... Os roqueiros vão ser barrados... Quando os guardas sacarem a invasão!
-Suicídio cara! A gente tem que escapar dos guardas da PF...
-Tá fácil, são só dois... Elemento surpresa neles...
-Dois por enquanto, né!
Invadiram a estação com os roqueiros babando a trinta metros deles. Pularam as catracas, atropelaram os dois guardas, pularam trilhos, passaram cancelas, cem metros rasos com barreiras em menos de vinte segundos, ganharam a Radial Leste do outro lado da estação e sumiram na neblina da madrugada.
Sete metaleiros conseguiram escapar das garras federais, os outros foram seguros por guardas e agentes da estação. A perseguição continuou Radial a fora. Ted e Noturno seguiram em direção a Vila Matilde. Andaram um tanto e resolveram parar para respirar. Mas tiveram a impressão de ouvir vozes na avenida coberta pela serração paulista daqueles tempos. Mas não viam ninguém.
-Eles tão vindo aí, Noturno.
-Eu to com a impressão de que eles podem ver a gente, mas a gente não consegue ver eles...
- Estamos na parte mais alta da avenida, devem estar nos vendo mesmo, senão já teriam desistido....
-Quantos você acha que tá vindo aí, Ted?
-Só vi uns sete saindo da estação...
-Então vamo aí...
-Eu não agüento mais correr, eu vou encarar a pancadaria, Noturno.
-Cara, não dá prá tretar, vamos lá pra praça da Toco, sempre uns punks do Jardim Maringá, o pessoal da Babú, aí sim dá prá encarar esses metaleiros...
Sempre correndo passaram pela estação da Vila Matilde, entraram na Rua Dona Matilde e continuaram a correria até chegarem á praça da Toco. A Toco era outro salão de bailes que havia na região e nessa praça havia muitos bares das mais diversas tribos e estilos. Inclusive punks.
Depois de uns vinte minutos de corre-pára, chegaram, deram a volta na praça, mas não acharam nenhum conhecido:
-É. Parece que punks não freqüentam bailes idiotas como esse...
-Já sei! Noturno, vamos se esconder atrás das moitas do jardim. – E foram. Setaram-se na grama atrás de uma moita de hibiscos, toda florida e esperaram... A única coisa que conseguiam era respirar muito ofegantemente. Pois é, depois de quase uma hora correndo, não podiam fazer mais nada, alem de esperar os roqueiros aparecer. E apareceram. Quinze minutos depois.
-Ó eles lá, Ted! – Disse Noturno, olhando entre as folhagens do hibisco.
-Quando eles passarem por aqui, eu pego um e você outro... Pelo menos dois a gente esfola!
-Deixa disso cara! É só ficar quieto, você acha que eles vão procurar aqui? Tem umas quatro ruas que saem dessa praça, eles vão tomar um perdido, não vão nos achar.
-Assim espero... Mas se me acharem, pelo menos um eu garanto: vai pra UTI comigo...
-Então seremos quatro na UTI mais filha-da-puta da cidade...
Os roqueiros procuraram por mais de meia hora, rodaram a praça toda e como não encontraram ninguém, foram embora.
-Ufa! Pensei que eu não ia conseguir escapar desse cacete, cara!
-Eu também, mas vamos dar mais um tempo aqui, prá ver se eles não reaparecem e depois vamos embora.
-Você tá é doido! Eu não agüento dar mais um passo...
-Putz! É mesmo. A gente pode acabar a noite naquele buteco tomando umas? O quê que você acha?
-Uma grande idéia essa: Umas cadeiras, umas cocas geladas?
-Com cachaça e limão?
-Demorou!!!!
- Garotas?
-Só se for pra eu brochar!! E eu só tenho dezesseis...
-Hum!!! Ó o cheirinho do cheeseburger... do bacon fritando...
-Onde? Onde?
-Falou o consumista de plantão!
-Hahahaha! Deve ser no butiquim ali, ó!
- Vamo lá !!! Caraio!!!!
Alguns segundos depois, a lua cheia mostrava toda a sua magnitude e dois suburbanos entraram no bar da praça, cantarolando: “Garoto do subúrbio, você não pode desistir de viver...”, refrão de uma antiga canção punk rock...

...............................................................................

Noturno é artista plástico, trabalhou para diversas empresas e instituições, fez milhares de trabalhos artísticos convincentes e sagrou-se como uma lenda viva do graffiti brasileiro, tendo inclusive, seus trabalhos reconhecidos em diversos países. Casou-se com 36 anos e tem dois filhos pequenos, que já o acompanham em seus ataques estilísticos aos muros da cidade. E não é mais punk...nem atende pelo vulgo ‘Noturno’
Wallace ‘Ted’ La Penna, morreu em 1983, vítima de abusos gerais e se negar terminantemente a tratar sua leucemia. Suspeita-se que em uma transfusão de sangue feita em 82 sem seu consentimento, pegou o vírus HIV. Depois disso nunca mais seria o mesmo. Qualquer gripe o derrubava... Como naquela época sabia-se pouco a respeito da doença, foi dada como causa morte uma pneumonia.
Foi o guitarrista mais completo e perfeito que conheci, mas esta é outra lenda, outra história...

TÁ CEDO!!!